Posts

Sempre que termino o desenvolvimento de um site, me perguntam, quanto tempo leva para aparecer na primeira página do Google? E eu sempre respondo que depende. E ai vem uma quantidade de perguntas sobre técnicas de visam “ludibriar” os robôs  do Google e, inclusive, me mostram emails que prometem posicionar o site em até 3 dias nas primeiras posições do Google.




Uma dessas técnicas é o Black Hat.

Muito se tem escrito sobre o assunto, então vamos a um resumo.

Black Hat e uma técnicas de otimização de sites (SEO) que e muito mal vista pelos mecanismos de busca. Embora trazendo resultados fantásticos a curto prazo para o seu site, mesmo ficando sujeito a ser penalizado pelos mecanismos de busca.

A proposta desse artigo é abordar resumidamente sobre algumas técnicas, mas, veementemente, desaconselhamos o seu uso.




As principais técnicas do Black Hat:

  • Keyword Stuffing: É um spam de palavras-chave no conteúdo da página, visando aumentar a densidade das palavras-chaves visada.
  • Invisilbe Text: Essa técnica tem por objetivo deixar o texto escondido do leitor, camuflado as palavras-chaves com a mesma cor do fundo da página. Dessa forma quem lê nas as enxerga, mas aumenta a relevância para os mecanismos de busca.
  • Cloaking Page: Tem a finalidade de mostrar páginas distintas uma para os mecanismos de buscas outras para os visitantes. Isso é conseguido checando-se o IP ou o navegador do visitante.
  • Doorway page: É bem parecido a Cloaking Page, com a diferença de ao invés de utilizar do navegador ou o IP do visitante, utiliza javascript ou meta. Pode também ocasionalmente usar de cliques feitos pelo mesmo.
  • Link Farms: É o processo de criação de diversas páginas em sites distintos e essas páginas há vários links apontados mutuamente para um domínio. O inverso também é possível, ou seja, uma única página apontando para várias outras.
  • Over-Submitting: A utilização de ferramentas de divulgação com processos automatizados, que podem levar envios redundantes ao mesmo local.
  • Duplicated Content: A unicidade da informação é de maior relevância para os mecanismos de busca, então, tome muito cuidado para evitar conteúdo duplicado, seja ele em parte ou total.
  • Misrepresenting Content: É uma técnica de mostrar um conteúdo diferente do buscado, visando, dessa forma, enganar o visitante do site.

O que as pessoas não levam em consideração é o seguinte: Não basta ser encontrado, tem que ter conteúdo relevante para que a experiência do nosso visitante seja a mais agradável possível e com isso retorne ao site/blog muitas outras vezes. Também ajude na divulgação em redes sociais aumentando com isso o engajamento.

Como sempre visamos o posicionamento no Google e, como o que serve para um serve também para os outros, visite o link de diretrizes para webmaster do Google e faça sempre a coisa certa!

Gostou do post? Comente, curta e Compartilhe.

Precisando Criar ou refazer um site ou blog ou melhorar o posicionamento no Google? Clique aqui, podemos ajudar.

 

Google e a nossa realidade

Pesquisas apontam que mais de 90% das pessoas pesquisam na internet por produtos ou serviços antes de comprá-los.

Hoje qualquer informação buscada se faz através de uma palavra-chave no box (caixinha) dos buscadores  esperando encontrar o que procuram.




Foi com esse propósito, organizar a web, que buscadores como o Google mudou a forma de indexar as páginas. Por esse motivo os sites hoje precisam ter como característica principal o conteúdo para que sejam encontráveis na rede.

A facilidade de uso e a integração entre quem escreve e quem lê foram os principais responsáveis por essa popularidade, e o que inicialmente era um serviço para publicação de diários pessoais online se tornou uma poderosa ferramenta de informação e entretenimento, usada por adolescentes, jornalistas e até por grandes corporações.

Google e o hipertexto

Os mecanismos de busca desenvolvem ferramentas e algoritmos poderosos para rastrear o conteúdo das páginas web. Eles exploram toda web varrendo o hipertexto em cada página.

Com bom senso e utilizando os diversos recursos que temos hoje para SEO para construção de nossas páginas web é possível construir sites que possam ser melhores indexáveis. Então, a nossa maior tarefa é construir páginas com textos relevantes e otimizadas para os buscadores.




A web é uma grande biblioteca e as páginas precisam ser catalogadas. Só que para saber o que as páginas têm, e qual o conteúdo, é necessário que os robôs leiam e entenda o que está lendo. Esses robôs são muitos rápidos, leem as páginas em frações de segundos, então, precisamos projetar textos utilizando algumas estratégias para ajudar os robôs a entenderem o conteúdo do site ou blog.

 

Google: SEO, palavra-chave e o texto

A primeira preocupação que devemos ter antes de projetar o nosso site, é dar atenção as palavras-chaves que desejamos como foco, pois, são justamente essas palavras, que orientarão o que necessita ser indexado pelos buscadores. Sendo assim, antes de escrever um texto para ser colocado no site ou blog, precisamos levar essas estratégias em consideração.

Para ajudar nessa tarefa, podemos preparar algumas perguntinhas que poderão nos ajudar na escolha, como por exemplo:

  1. Quem é o nosso público alvo?
  2. O que buscariam em nosso site?
  3. Uma análise nas estatísticas, caso estejamos fazendo um redesign, também será uma boa fonte de informação.

 

O que deve ser verificado em nossos textos

De posse das palavras-chave, partimos para o projeto do nosso texto e nesse momento devemos observar os seguintes itens:

  • Relevância
  • Densidade
  • Proeminência
  • Proximidade

 

Relevância é a utilização, por página, de algumas palavras-chaves. Não devemos nos esquecer que os buscadores indexam a partir dessas informações. Na sua analise os buscadores procuram a relevância das palavras-chaves dentro do conteúdo do texto, então, devemos ser o mais específicos possível.

Densidade é a frequência com que as palavras-chaves aparecem no nosso texto. Se uma da palavras-chave  “computador” faz parte do nosso objetivo, é necessário que essa palavra apareça mais frequentemente no nosso texto, desta forma, os buscadores acharão relevante o conteúdo do texto. Mas lembre-se, que a repetição demasiada das palavras-chaves pode ser desagradável para quem estiver lendo o nosso texto, portanto, seja sensato(a). Os buscadores têm regras e o excesso pode se interpretado com tentativa de burlar essas regras e, nesse caso, pode ser que não alcancemos o objetivo almejado.

Proeminência envolve os diversos locais onde a palavra-chave aparece. Elas não devem estar somente no corpo do texto, deve ser referenciadas em outras partes, como: no título (TITLE), no META-TAG, no ALT das imagens, nos nomes dos arquivos HTML e nos nomes dos arquivos de imagens. Isso permite utilizar a palavra-chave diversas vezes dentro do HTML, permitindo assim, maior relevância.

Proximidade é a distância entre as palavras-chaves no texto. Trabalhando corretamente a proximidade e a densidade, conseguiremos dar relevância adequada à nossa palavra-chave, facilitando a busca.

 

Concluindo

Escrevendo também pensando nos buscadores pode ser uma questão de sobrevivência, onde, para se alcançar a visibilidade é necessário construirmos sites com base em três pilares: 1- conteúdo, 2 – popularidade e 3 – tecnologia, que na medida certa, pode contribuir para uma bom posicionamento nos buscadores, gerando excelentes resultados.

 

Gostou do post? Comente, curta e Compartilhe.

Precisando Criar ou refazer um site ou blog ou melhorar o posicionamento no Google? Clique aqui, podemos ajudar.